A COMPANHIA

CIA REPERTÓRIO

Repertório Artes Cênicas e Cia

Repertório Artes Cênicas e Cia é um grupo teatral sediado em Vitória – ES, desde 2008.

O hibridismo de linguagens - que envolvem teatro e dança - e a música cênica ao vivo são as bases das investigações que permeiam a estética dos seus trabalhos.

O grupo mantém em sua sede, Má Companhia – Casa dos grupos Z e Repertório, um teatro de bolso onde apresenta seus espetáculos, recebe outras companhias e oferece ações formativas;

Sua sede vem se configurando cada vez mais como um espaço de fomento à cultura na cidade de Vitória.

A Repertório inclui também em seu histórico, uma ampla atuação cultural, com oficinas de teatro e participação efetiva em festivais e eventos de incentivo às artes.

HISTÓRICO

Biografia

Sediados em Vitória(ES), em 2008, Nícolas Corres, Roberta Portela e Nieve Matos se firmam como o coletivo RAC – Repertório Artes Cênicas e Cia para dar continuidade às pesquisas que vinham desenvolvendo desde a gradução na Universidade Federal de Ouro Preto, incluindo a música cênica original e outras investigações. Estreiam com sucesso seu primeiro trabalho, a esquete “No inicío, agora e sempre” no 6º FESTIVAL DE ESQUETES DO ESPÍRITO SANTO ganhando cinco prêmios incluindo o de melhor espetáculo, apresentado também na Virada Cultural (2009) e no Overdoze (II Aldeia Sesc de Teatro – 2010).

Durante 2009 criam em parceria com o Grupo Vira Lata de Teatro o espetáculo de rua cênico-musical “Peroás e Caramurus – Uma saga da Ilha” que ao longo de 2010 participou de eventos como: Vitória – Verão – Coca-Cola, VI Festival Nacional da Cidade de Vitória e II Aldeia Sesc de Teatro. Sendo contemplado no edital de Circulação Cultural da Secult, realizando uma turnê pelo interior do Espírito Santo. Em 2011, a peça é contemplada no edital da Prefeitura de Vitória com apresentações em bairros da cidade. Em 2013, “Peroás e Caramurus” circulou com oito apresentações pelo município da Serra pela Lei Chico Prego 2012.

Ainda em 2010, são convidados pela Companhia Folgazões a criar o “Espaço Coletivo Folgazões e Repertório” em um casarão da década de 50 no coração do centro da cidade de Vitória. Além de sediar os grupos e promover o intercâmbio de experiências com outros criadores, o casarão com sua arquitetura marcante se transformou em material de pesquisa para a composição de “Bernarda, por detrás das paredes”, reforçando as investigações acerca da dramaturgia do espaço e sua apropriação. A peça cumpriu sua primeira temporada nos meses de outubro, novembro e dezembro de 2010, com a segunda temporada ocorrida em março de 2011. Participou do Festival Aldeia SESC com duas apresentações, uma em espaço alternativo e outra no Teatro Carmélia em Vitória-ES e também no Festival Nacional de Teatro de Vitória- ES ainda em 2011. Ganhador do prêmio FUNARTE Myrian Muniz, “Bernarda, por detrás das paredes” cumprindo uma turnê por São Paulo e Espírito Santo, em 2012. Em 2013, o espetáculo participa do OFFCena, projeto do Sesc Palladium (MG), onde o grupo ministrou a oficina A poesia do corpo na Concepção da Cena. Atualmente, “Bernarda” circula com o projeto ES em Cena, quando foi selecionado para representar o estado em oito capitais brasileiras.

Durante o ano de 2011, o grupo promoveu em sua sede, um ciclo de eventos chamado “Diálogos”, tendo como objetivo incentivar a pesquisa cênica e seus hibridismos com a dança, música, literatura e o cinema.

Ainda em 2011, ministra em sua sede as oficinas “Descobrindo o corpo Expressivo”, “Composições de cena” e “Improvisação como espetáculo”. Em parceria com a Escola de Teatro, Dança e Música FAFI ministra as oficinas de verão: Processos de Criação, Expressão Corporal e Caracterização. No interior do estado, promove o evento “Oficinando – São José do Calçado” um ciclo de oficinas de teatro e poesia.

Recebe em sua sede o Grupo Trama - MG e a o grupo Ponto de Partida - MG, fazendo também um intercâmbio com a Cia In.co.mo.de-te – RS (Aldeia Sesc 2011 – Projeto “Trocando em Miúdos”).

Em dezembro de 2011 o grupo estreia, em parceria com o diretor e dramaturgo Antonio Apolinário (diretor do grupo Casa de Pagú, Campinas – SP), o espetáculo de teatro-dança “Sonata para despertar” com o patrocínio do Edital de Projetos de Pequeno Porte Secult 2012, mantendo a pesquisa cênica musical do grupo com músicas originais executadas ao vivo. Participou do Festival Aldeia SESC de Teatro e Dança – 2012.

Em 2012, convida o Grupo Z de Teatro para repaginar sua sede e monta a Má Companhia – Casa do grupos Z e Repertório, que se torna um dos espaços alternativos mais importantes da capital.

Em 2013, estreia com orientação de Tiche Vianna (Barracão Teatro – Campinas/SP) o espetáculo Tempos de Areia, contemplado pelo edital de Residência Artística da SECULT/ES. Além de apresentar a intervenção “Entre memórias e esquecimentos”, que à linguagem performática e apropriação de espaços públicos.

Em 2014, estreia sua primeira produção infantil “Anjos e Abacates”, contemplada pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura Rubem Braga.

BAIXAR DOSSIÊ

ESPETÁCULOS

Bernarda

“Bernarda, por detrás das paredes” é um jogo cênico entre dois atores que fazem de seus corpos escrituras vivas para desconstruir e reconstruir as mulheres da Casa de Bernarda Alba, de Federico García Lorca. Bernada é uma matriarca dominadora que, após a morte de seu segundo marido, decreta um luto de oito anos enclausurando em casa suas cinco filhas. No espetáculo a metalinguagem é utilizada como recurso de apropriação dos mais distintos espaços, desde os teatros tradicionais aos espaços alternativos, a musicalidade dos textos e a trilha sonora compõem a paisagem, desenhando a narrativa e preenchendo a cenografia.

Classificação etária: 14 anos
Duração: 55min
Texto/concepção: Dramaturgismo de Nieve Matos – Uma colagem das obras “A casa de Bernarda Alba”, de Federico García Lorca, e “Arte Poética”, de Aristóteles.
Adaptação: Nieve Matos
Tradução: Nieve Matos
Trilha sonora: Dori Sant'Ana e Fábio do Carmo
Concepção e Direção Musical: Dori Sant'Ana
Cenografia: O grupo
Figurinos: Antonio Apolinário
Material Gráfico: Igor d'Avila e Anaíse Perone
Portfólio e Fotografias: Ariny Bianch

ESPETÁCULOS

Tempos de Areia

Entre o Espírito Santo e a Bahia, entre o rio e o mar, imersa entre dunas está a Vila de Itaúnas. Tempos de areia é uma obra ficcional, inspirado na história real de Itaúnas, um bucólico distrito de Conceição da Barra (ES), que foi lentamente soterrado pela areia entre as décadas de 50 e 70. Escrito a partir de depoimentos de antigos moradores e temperado com uma pitada de realismo fantástico, o espetáculo nos transporta para um lugar possível e impossível de existir - reinventado ora pela memória, ora pela ciência - um vilarejo que foi afetado pelas decisões do homem. Onde passado, presente e futuro se interpõem para narrar uma história velada e desvelada pelo avançar do tempo e da areia.

Classificação etária: 12 anos
Duração: 55min
Texto/direção: Nieve Matos
Orientação de processo criativo: Tiche Vianna
Trilha sonora: Edson Zacca e Erica Vilhena
Concepção e Direção Musical: Edson Zacca
Direção de arte: Antonio Apolinário
Material Gráfico: Sergio de Paula
Fotografias: Luara Monteiro
Elenco: Nícolas Corres Lopes, Roberta Portela e Waltair de Souza Jr.
Técnicos: Edgar Barbosa e Nieve Matos

ESPETÁCULOS

Anjos e Abacates

Anjos e abacates é um espetáculo musical destinado ao público infanto-juvenil, a dramaturgia é Eid Ribeiro. O espetáculo é uma produção do grupo Repertório Artes Cênicas. O trabalho estreou em abril de 2014, no espaço Má Companhia, participou do Festival Nacional de Teatro de Guaçuí onde recebeu oito indicações de prêmios sendo o vencedor nas seguintes categorias de Melhor Atriz, Melhor Ator, Melhor Texto, Melhor espetáculo de júri popular e Melhor Sonoplastia. Atualmente o espetáculo se prepara para participar do Festival Aldeia SESC Ilha do Mel em outubro de 2014. Anjos e Abacates conta a estória de quatro crianças do interior de Minas Gerais, num tempo perdido do meio de século passado. Estes meninos desfrutam de mais um dia de diversão em um quintal onde tudo é possível. Uma brincadeira de rádio abre espaço para a imaginação e tudo pode acontecer. Com novos arranjos musicais, Anjos e Abacates brinca de musical, se aventura com as estripulias do super-herói Saladina Braculê, diverte com as molecagens dos vizinhos de muro, experimenta vitamina de abacate, se emociona com o primeiro beijo e sonha com Caxeta em cantar e voar que nem os passarinhos.

Duração: 60 min.
Faixa etária: Livre
Texto: Eid Ribeiro
Direção: Chico Aníbal
Cenografia e Bonecos: Dudu Guimarães
Músicas: Edivan freitas/ Eid Ribeiro
Elenco em palco:
Franciléia Pereira Rodrigues
Daniel Boone
Elias Ramos Aquino
Renan Cunha Araujo
Débora Christine Barros Schulz Yamashita
Assistente de Direção: – Nícolas Corres
Preparação Corporal: – Roberta Portela
Orientação Vocal: – Aline Hrasko
Iluminação: – André Stefson
Figurino: – Chico Aníbal e Grupo
Costureira: – Mari Valeriano
Músicos: – Edivan freitas e Rodolfo Simor
Produção: Executiva – Bru Negreiros
Produção: – Nieve Matos
Produção Geral: Repertório Artes Cênica

ESPETÁCULOS

Oración

ORACIÓN, texto de Fernando Arrabal, é uma obra extremamente provocativa e atual que, entre outras coisas, discute o maniqueísmo religioso. A montagem do grupo Repertório mescla animação corporal com bonecos, e brinca com a linguagem dos musicais. A Repertório Artes Cênicas e Cia. sempre buscou romper com as fronteiras que separam a dança e o teatro. O processo criativo de Oración teve a dramaturgia física e o teatro de animação corporal como os principais estímulos para a composição do espetáculo. Foram dez meses de montagem, sendo cinco deles contando com as generosas presenças de Dico Ferreira e Katiane Negrão, integrantes da TATO CRIAÇÃO CÊNICA (Curitiba-PR), nos orientando nos exercícios pré-expressivos e na encenação. Oración é o sétimo trabalho da REPERTÓRIO, que neste ano comemora seis anos de existência.

Duração: 45 min Faixa etária: 14 anos. Direção e produção: Nieve Matos Texto: Fernando Arrabal Tradução: Wilson Coêlho Orientação corporal do processo criativo: TATO CRIAÇÃO CÊNICA Atuação: Nícolas Corres Lopes, Roberta Portela e Waltair de Souza Jr. Figurino, cenário e maquiagem: Antonio Apolinário Adereços: Antonio Apolinário e Renato Sancharro Iluminação: Carla van den Bergen Operação de luz: Edgard Barbosa Trilha sonora: Deyvid Martins Assistência de produção: Bru Negreiros Foto: Bru Negreiros

LOCALIZAÇÃO

Mapa